domingo, 11 de abril de 2021

Cidade boa é cidade onde você tem dinheiro.

Gramado, considerado a cidade mais bonita do país.

Uma lição que meu pai me passou desde pequeno era que:

 "Não existe lugar bom se você não tem dinheiro"

Ele disse isso quando perguntei para ele o motivo de ele ter se mudado de uma capital para empreender em uma sub-cidade do interior.

Sem estrutura e sem qualidade de vida nenhuma.

Ele explicou que você pode morar na melhor cidade do país, mas se for um peão e ganhar mal, não irá conseguir usufruir nada que essa bela cidade proporciona.

Porque tudo custa dinheiro. 

Andar de carro bom custa dinheiro

Ter boa moradia custa dinheiro.

Comer fora custa dinheiro.

E isso é tudo oque você não tem acesso se você é um peão.

Então na visão dele, era muito mais vantagem você morar em uma  sub-cidade sem estrutura mas que VOCÊ seja rico.

Porque você sendo rico nessa cidade, você pode lhe proporcionar uma qualidade de vida que não teria em nenhum outro lugar "melhor"

Então a gente chega a conclusão que não existe isso de "Tal lugar é melhor"

É MELHOR SE VOCÊ TIVER DINHEIRO PORRA!

Se você não tiver, vai ser peão, vai morar 10km do trabalho, vai pegar busão, vai ter que esquentar lata.

Que qualidade de vida é essa? Não tem.

Aaah essa qualidade de vida.

O SONHO DE MORAR NO EXTERIOR...

Faça chuva ou faça sol.

Esses dias eu estava pesquisando sobre Brasileiros que foram para os EUA morar.

Percebi que existem pessoas que se arrependem de terem ido e outras que não.

Geralmente as que se arrependem são pessoas que tinham certa qualidade de vida aqui no Brasil. Ganhavam seus 3-5k, andavam de carro, tinham casa, faziam parte de uma comunidade e um bom cargo na sociedade (Bancário, contador, advogado etc)

Mas que botaram na cabeça o sonho americano e foram para lá trabalhar de "Peão na construção" . 

A maioria na verdade em 2-3 anos coloca o rabinho entre as pernas e volta.

Quem consegue ficar é quem já era Peão aqui e foi fazer o mesmo lá.

O maior problema é que para quem decide morar lá, o custo de vida é ALTO! E se você quiser se divertir como um americano será caro. 

Além que para galgar certo nível na sociedade sendo imigrante não é fácil.

Onde será que você ira morar nessa Beautiful city?

No BR se você acumular certo capital e empreender, rapidinho você vira patrão e uma pessoa respeitada na sociedade. 

Óbvio que empreender não é para todo mundo.

Mas oque eu quero passar aqui é que: NEGO FANTASIA MUITO!

Acha que só porque o lugar é bom, significa que a vida dele será boa também.

UMA COISA NÃO TEM NADA AVER COM A OUTRA. E isso vale para quem muda de cidade no Brasil também.

Graças a Deus que eu tive um pai para me dar esse conselho, coisa que muitos não tiveram.

Casa de um dono de agropecuária na minha cidade. Quando que ele conseguiria uma casa desses em uma capital ou EUA?



17 comentários:

  1. Peão raíz não é "rico" em lugar nenhum. Essas pessoas tem pouco a perder e dificilmente alcançarão o padrão de vida com carro bom, casa boa, jantares em bons restaurantes etc etc.
    É possível alcançar? É, mas geralmente é a longo prazo com esforço, frugalidade e perseverança, seja empreendendo, passando num concursos intermediário pra cima ou fazendo carreira na iniciativa privada.
    E nesse caso nem toda a cidade proporcional a quantidade ou qualidade de oferta de emprego ou oportunidades que de alguma forma façam com que esse caminho seja encurtado.
    Quem tem patrimônio na família e sabe que vai ser um futuro gestor de algo que já existe como é o seu caso OK, mas em regra não é assim que funciona. É necessário arriscar mais.
    Eu particularmente não tenho vontade de ir pra outro país, nunca tive e acho loucura que m vai ilegal, sou contra.
    Mas mudar aqui dentro do Brasil, acho válido desde que se saiba o que está fazendo.
    O problema do brasileiro é que a maioria não sabe o que está fazendo, nem o que fará da vida.

    ResponderExcluir
  2. Corey abandonou. Flavio Augusto é só motivacional. Conhecimentofinanceiro é em que local?
    Espero ver mais blogs que falem de empreendedorismo na prática.

    ResponderExcluir
  3. KKK Falou tudo Peão.
    A maioria dos Brasileiros agem sem pensar, na verdade agem sem se planejar. Realmente morar por morar em uma cidade tida com boa não é sinal de sucesso, tem que ter grana para usufruir a cidade, principalmente estas cidades mais famosas e turísticas.
    Claro que ter uma vida mais frugal pode impactar, mas tem certas coisas que não tem jeito, como mercado, moradia, transporte para o trabalho, escola para filhos e etc.
    Grande Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Isso aí peão, o que define a qualidade de vida é quanto vc tem no bolso, eu gosto de minha cidade atual, mas se eu tivesse oportunidade de ganhar consideravelmente mais morando em algum lugar que eu não gosto, eu iria sem pensar duas vezes.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Peão.

    Eu também sempre achei isso válido. O que vale é dinheiro no bolso. Conheço muita gente que tem casas na roça e em cidades pequenas que se fosse em cidades grandes valeriam milhões. E essas mesmas pessoas seriam da classe média baixa nessas cidades.

    Acho muita loucura as pessoas que tem cargos bons aqui e vão para o exterior trabalhar de peão.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Vale mencionar que diferente do passado, hoje é possível fazer uma "geo-arbitragem". Aprendendo coisas que sejam possíveis fazer a distância pode-se ter o melhor dos dois mundos: morar num lugar barato e agradável e ganhar em moeda forte.
    Um salário de U$30k (R$170k) anual é quase um salário de fome lá fora, mas possibilita uma vida muito boa no Brasil.

    ResponderExcluir
  7. Minha impressão.
    A única coisa que me atrai hoje em ir para um país de Primeiro Mundo seria a segurança. Até em cidadezinha isso chegou, fui visitar uns parentes no interior cidade de 40 mil habitantes.
    Tem uma mini cracolândia lá e numa cidade não muito distante dali. Uma quadrilha tinha fechado a cidade e roubado todos os bancos da cidade.

    Sobre morar em cidades pequenas. Olha internet deixa as coisas beeem mais fáceis que antigamente.

    Se vc mora numa cidade razoável, qq coisas que vc quiser comprar num submarino, mercado livre chega fácil. Antes não era assim não.

    Gosta de filmes e séries? Investe numa TV boa e assina Netflix, Amazon Prime ou outros serviços de streming.

    Na minha infância, TV no interior era só os canais abertos e só os playbas tinham tv a cabo e a gente ia p cidade maior próxima para ir no cinema.

    Até música. Tinha que baixar música ficar procurando pela internet.
    Hj tem spotify, ate no youtube tem.

    O sujeito pode ir para uma cidade menor fazer uma casa TOP com piscina e churrasqueira. Aí compra uma smart grande e assina os serviços que quiser.
    Monta um PC gamer ou compra os melhores consoles.

    ResponderExcluir
  8. Hahahaha peão aqui peão lá dá certo, agora abonado aqui e peão lá não dá certo kkkkkkk, excelente exemplo.

    Abçs

    ResponderExcluir
  9. Peão.

    O pessoal só olha para o $$ e esquece de ver a qualidade de vida que é possível comprar com ele. Viver em uma capital tem suas vantagens e desvantagens, tal como no interior do Brasil. O dinheiro é a única coisa que consegue compensar quase todas às desvantagens.

    Sobre morar no exterior, acho que é uma iniciativa bacana, o problema é que o pessoal vai com uma mentalidade de que vai trabalhar na moleza ou que o ótimo padrão de vida também não acarreta em um custo muito mais alto.

    Vivo no interior e vivo bem! Gostaria de viver em uma capital? Opa, claro. Mas ganhando o salário que eu ganho hoje? De forma nenhuma.

    Abraços,
    Pi

    ResponderExcluir
  10. A opção do exterior acho mais válida como foi nos casos do Corey e do antigo Mr. Rover. Após acumularem um bom patrimônio aqui, partiram num pós-IF ou semi-IF para o exterior em busca de qualidade de vida, principalmente segurança. O dinheiro não passou a ser mais a maior preocupação.

    Neste caso acho bem mais válido do que um empreendedor com potencial de crescimento aqui no Brasil, ou mesmo uma pessoa que tem um bom cargo público ou na inciativa privada, meter as caras e ir trabalhar de peão. Aí acho doidera.

    ResponderExcluir
  11. cada caso é um caso.

    não há almoço grátis

    não adianta ser rico no interior se a pessoa gosta de frequentar teatros, shows, boates e bons restaurantes: vai necessariamente ter de se deslocar para um grande centro.

    destaco tb a ausência de serviços médicos/laboratoriais especializados ou educação presencial de qualidade no interior

    a maioria dos brasileiros tem uma vida ruim de pobre e nada tem a perder tentando imigrar: eles não tem nada no brasil mesmo, onde vivem com menos de uma salário mínimo, em péssimas condições de higiene e qualidade de vida

    ResponderExcluir
  12. Melhor ser o rei dos ratos do que o rato dos reis. Acho que o que importa é a riqueza relativa... se você ganha o suficiente para ter um alto padrão de vida numa cidade, você estará bem, ainda que não seja rico. Um bom exemplo disso é o saudoso Roger da cidadezinha.

    ResponderExcluir
  13. Excelente post. Jamais que eu iria aceitar ser um peão nos EUA ao invés de ganhar bem no Brasil. Não compensa.
    Se fosse pra ser peão em uma vila meio rural da Suécia com uma sueca gostosa ou algo assim, até valeria a pena, mas é caso raro e exceção à regra.

    Há uma frase de Júlio César que se adequa perfeitamente:
    Plutarco cita uma frase dita pelo conquistador ao passar por uma pequena aldeia: “Garanto-lhe que prefiro ser o primeiro homem aqui que o segundo em Roma”.
    Exatamente como disse acima o Mago.

    Por outro lado, tem cidades que não valem a pena, nem por um valor alto. Imagine morar em um lugar que faça 40ºc pra cima o dia inteiro... eu preferiria ser pobre em outro lugar que não aquele inferno. Mas é um exemplo extremo.

    ResponderExcluir