quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

Reflexões sobre o mercado de capitais.

Eu venho estudando muito sobre mercados, capital, bolsa nesses ultimos meses e venho avaliando se compensa ou não investir em bolsa, qual caminho seguir, e conclui que devo investir meus aportes na bolsa mesmo.

Por mais que existam oportunidades aqui na minha cidade, todas estas oportunidades não são “investimentos de renda passiva” mas sim empreendimentos que exigem atenção. Dentro dessas oportunidades posso citar:

- Máquinas, caminhões 

- Imóveis 

- Terras agrícolas 

- Gado

Esse é o investimento padrão dos ricos da minha região. Todos estes investimentos me dariam até um retorno um pouco melhor que a bolsa, mas o trabalho e a dor de cabeça que eles exigem provavelmente tiraria o foco do meu trabalho.

Todos esses ricos trabalham muito, e não vejo eles tendo paz em suas vidas.

Isso aqui não é renda passiva, é empreendimento!

Percebi também que a maioria das pessoas realmente inteligentes no mundo, grande parte dos Judeus investem no mercado de capitais. É a forma mais inteligente de alocar capital em ativos produtivos na sociedade.

Além que tenho o perfil de investidor mesmo. Gosto de ler e estudar sobre empresas, gosto de economia, e não me identifico com a vida rural ou administração de maquinários.

Judeus não investem em terra, sempre estiveram presentes no comércio, bancos e mercado de capitais. Por isso são tão ricos.

Eu sempre tive medo de investir na bolsa com medo das quedas, mas depois que internalizei bem a filosofia Bastter de ser sócio de boas empresas, entendi que:

Eu deveria investir em boas empresas que estão fazendo algo de positivo na mundo.

Além de formar uma carteira de ações que seja uma extensão da minha personalidade, ou seja, empresas que eu goste e entenda como elas realmente fazem dinheiro.

Por exemplo: Eu me identifico muito e gosto do varejo no geral, incluindo bancos. Já não me identifico com setor de energia, já não que não entendo nada sobre o assunto e não tenho interesse pelo setor. 

Acho que com essa filosofia de investimentos vou acumular mais dinheiro no longo prazo e ter mais satisfação com os investimentos.

Eu realmente sinto tesão de investir nesse tipo de empresa.

Outra coisa também que cortei que me prejudicava muito quando estava no mercado era os ruídos do Twitter.

Graças a Deus faz muito tempo que não acompanho notícias da mídia, me livrei desse vício. Mas tenho Twitter e sou bem ativo por lá.

Sigo muitos “fintwitters” twitteiros do mercado financeiro, mas percebi que seguir esses caras é como ler notícias todos os dias. Esses caras estão sempre soltando notícias ruins sobre o mercado que acabam causando ansiosidade em você.

Por isso decidi silenciar 99% da fintwitt, um dos poucos cara que deixei foi o Uo aqui da comunidade que é um cara sempre bem positivo. No geral, estou seguindo mais a “Growth Twitter” que nada mais é que coachs e pessoas dos EUA que estão na caminhada de evolução em todas as áreas da vida. 

Por fim, quero trilhar meu caminho seguindo os seguintes principios:

- Sempre trabalhar mais e melhor dentro do meu ramo, com foco.

- Continuar Low profile e poupando sempre o máximo possivel.

- Investir em empresas que estão fazendo algo produtivo no mundo através do mercado de capitais.

- Continuar praticando bastante esporte (Futebol e Musculação)

- Sempre me manter ativo intelectualmente através de leitura de livros.

Com isso acredito que terei uma vida melhor e mais feliz.

12 comentários:

  1. Parabéns pelas reflexões, Peão. Começa aos poucos, devagar, e vai construindo sua carteira de ações tijolinho por tijolinho.
    Quanto a terras, considero um investimento importante, mas com essa desvantagem da necessidade de tomar conta. Você já deve ter a sua, onde você mora. Eu, se Deus quiser, um dia vou ter a minha para morar também (assim consigo tomar conta). Ter terras para tomar conta "de longe", acho que só pra quem tem muita disposição e nervos de aço. Eu ia viver preocupado de serem invadidas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Mago, por mais que eu não goste de terra agora, eu tenho a sensação que o final da vida de um homem é mais satisfatório se for no pedaço de terra. Acho que no geral é triste esses velhos que moram na cidade e ficam o dia todo assistindo televisão.

      Acho que o cara pode encontrar satisfação em plantar seus próprios alimentos, construir coisas, criar animais, etc.

      Então acredito que no futuro terei sim meu pedaço de terra.

      Excluir
    2. Acredito que comprar terra agora seria dor de cabeça para mim, porque tiraria foco do meu trabalho que me da dinheiro e teria a dificuldade de imobilizar capital e ter que dar manutenção na terra.

      Hoje estamos no topo do ciclo das commodities, está fácil vender terra, mas tem épocas que você não vende nem de graça.

      Excluir
    3. "Então Mago, por mais que eu não goste de terra agora, eu tenho a sensação que o final da vida de um homem é mais satisfatório se for no pedaço de terra. Acho que no geral é triste esses velhos que moram na cidade e ficam o dia todo assistindo televisão.

      Acho que o cara pode encontrar satisfação em plantar seus próprios alimentos, construir coisas, criar animais, etc" - penso desta mesma maneira. Espero um dia ter meu terreno e plantar, criar galinhas, etc.
      Acho que no fundo todo homem (ou quase todo) é um camponês/fazendeiro, como um potencial esperando para nascer. Nem todos conseguem, mas acho que está lá.

      Excluir
    4. Eu acho que é mais ou menos por aí. Não sei se você conheceu o Mr Rover antigo blogueiro. Ele postou alguns tópicos no fórum legado realista há 2 anos sobre isso.

      Falou que tinha ido pros EUA e pretendia comprar um a terrinha por lá e trabalhar emcima dela. Inclusive ele recomendou um livro sobre o assunto, chamado Walden. Comprei ele e pretendo ler. Talvez até faça uma resenha aqui.

      Excluir
    5. Esse livro é interessante, pelo pouco que li. Vou me aprofundar mais no assunto. Espero que você faça mesmo uma resenha dele algum dia.

      Excluir
  2. Se você busca renda passiva, considere estudar o setor de Energia Elétrica, que possuem as melhores empresas pagadoras de dividendos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É interessante, mas acho mais interessante a estratégia de focar no seu círculo de competência.

      Excluir
  3. Aê Peão, sempre te critiquei aqui e acho que agora você percebeu o que a Bolsa significa. Parabéns, você abriu sua mente.
    Siga firme nos aportes e nas empresas que conhece...só não fique fechado também para boas oportunidades como o setor de Energia que pagam excelentes dividendos e entregam retorno ao acionista no longo prazo.

    De resto é isso aí, patrimonio não paga conta, o que paga é renda e na Bolsa temos renda tranquilo, dormimos e ganhamos dinheiro!

    Siga firme, foco e fé, Deus conosco!
    No longo prazo é difícil, tendemos a desistir....mas mantenha=se firme a estratégia.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, confesso que demorei para assimilar isso. Que para ter renda passiva eu precisaria emprestar meu dinheiro para Governos/Bancos ou mercado de capitais. Não tem outro jeito. Qualquer outro negócio é empreendimento e se torna renda ativa.

      Por fim, os grandes ricos da minha região investem nesses negócios muito porque eles não declaram imposto.

      Excluir
  4. Peão,

    A galera gosta de investir em coisa que não sabe e principalmente crescendo o olho no ganho dos outros, mas esquecem de fazer contas e descobrir os desafios do negócio.

    Como diz um ditado: "só olham as pingas que eu tomo, mas não veem os tombos que eu levo!"

    Gostei muito do seu post e resolvi compartilhar uma reflexão no meu blog a respeito, deixei devidamente o link para sua postagem.

    Abraços,
    Pi

    ResponderExcluir
  5. Fala Peão! Não se desespere, faça tudo no seu ritmo. Foi bom vc descartar o negativismo daquele chorume radioativo do tuiti. Um abraço!

    ResponderExcluir